Entenda o processos de fertilização e esterilização dos casais

No mundo inteiro, há muitos casais que almejam ter filhos e não conseguem, por inúmeros fatores. Só no Brasil, cerca de 10 a 15% dos casais, não conseguem ter filhos no processo natural de fertilização.

Hoje em dia, com todas as inovações no campo da saúde, pode-se detectar o que causa essa infertilidade, tornando o sonho do casal possível.

Atualmente, cada vez mais os casais postergam o sonho de terem filhos. Para que em um futuro próximo, consigam mais tempo para aproveitarem o crescimento da criança.

Entretanto, isso atrapalha nos âmbitos férteis, tanto do homem quanto da mulher, pois às vezes a mulher já está entrando em seu período de menopausa, podendo enfrentar dificuldades para engravidar.

A procura de um especialista em infertilidade nessas horas, é de extrema importância, para que o profissional possa entender e investigar melhor o problema.

Este que pode ser tanto da mulher quanto do homem, para que possa realizar algum tratamento. Geralmente, a sociedade parte do pressuposto de que apenas a mulher tem o papel de ser fértil.

Mas grande parte dos homens, também têm problemas de infertilidade por vários motivos, tendo que ser investigado e tratado.

A saúde íntima do homem

Um exemplo de procedimento para o homem ver se não há nenhum problema com ele, é a cistoscopia masculina, na qual consiste em realizar um check-up em todos os segmentos uretrais.

Além de observar o tamanho da próstata (glândula importante no sistema masculino, que produz o líquido seminal, que em conjunto com os espermas constituem-se no sêmen).

É de extrema importância a procura de um especialista, para sanar todas as dúvidas antes da tomada de alguma decisão, pois tal procedimento é de alto custo e complexo.

Define-se infertilidade quando o casal tenta copular por 12 meses e há a ausência de gravidez, sem o uso de anticoncepcionais.

A saúde íntima da mulher

A mulher, quando presencia o problema de infertilidade, já pensa em inúmeros problemas graves, que talvez não seja o caso dela.

Mas, antes de tomar frente de causas desconhecidas, é necessário passar por ginecologista e realizar exames para saber qual a causa.

Há vários motivos para a infertilidade feminina, alguns estão listados abaixo:

  • Problemas de ovulação;
  • Alterações nas tubas uterinas;
  • Alterações no útero;
  • Final da ovulação (menopausa);
  • Outros problemas de saúde;
  • Menstruação desregulada.

Um problema que atinge em média, 6 milhões de mulheres no Brasil e que também dificulta muito a gravidez, levando até à esterilização total é a endometriose.

A doença faz com que o endométrio não fique devidamente preparado, para conceber o embrião, mas que pode ser amenizado ou tratado com a utilização de hormônios ou DIU de progesterona, por exemplo.

Quando o problema de dificuldade de gravidez atinge os casais, a primeira coisa que se passa na cabeça é a inseminação artificial.

O qual é um processo menos complexo, mas que serve apenas para os casos de infertilidade leve. O procedimento consiste em inserir, com um cateter, o espermatozoide na cavidade uterina da mulher.

Em casos mais complexos, a Fertilização in Vitro é uma das novas tecnologias que podem ajudar a realizar o sonho dos casais que almejam ter filhos.

Quais são os procedimentos que envolvem a prevenção

Em contrapartida, há inúmeros casais saudáveis e férteis, que não pretendem mais ter filhos por várias questões pessoais e amadurecem a ideia de procedimentos para ficarem inférteis.

Tanto o homem quanto a mulher podem realizar esse procedimento, porém no homem a cirurgia de vasectomia é bem menos invasiva do que a cirurgia de laqueadura na mulher.

No homem, a incisão é um processo rápido e simples, que se resume em cortar os canais deferentes que levam os espermatozoides até o pênis.

A cirurgia pode ser realizada tanto em convênios particulares médicos, até no Sistema Único de Saúde (SUS) e sua recuperação demora em torno de uma semana, para retornar às atividades normais do cotidiano.

Já a laqueadura, processo mais complexo de esterilização direcionado à mulher, consiste em amarrar ou cortar as tubas uterinas, impedindo o processo de fecundação.

A cirurgia pode ser realizada apenas com mulheres que apresentem riscos de saúde ou que tenham mais de 25 anos, com no mínimo dois filhos vivos, de acordo com a lei brasileira.

Contudo, antes de realizar qualquer processo de esterilização, tanto na mulher quanto no homem, é necessário conversar primeiro com um especialista e analisar todas as possibilidades, para não se arrepender no final.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *