Parto: Dicas que te ajudarão a se preparar para este momento tão especial

A decisão de ter um filho, é sempre repleta de expectativas e muita ansiedade, sem contar com o medo do parto normal.

Já na gestação, a mulher passa por algumas mudanças em seu corpo e também por alterações emocionais.

Se você já esteve grávida ou será mãe de primeira viagem, já deve ter se perguntando, por exemplo, o motivo de tanto sono.

É que nessa fase, seu corpo começa a trabalhar muito para realizar o desenvolvimento do embrião. E é esse esforço que faz com que a mulher se sinta sempre cansada e com bastante sono.

E o incômodo e desconforto na região das mamas? Também é resultado de hormônios, que preparam os seios para a amamentação.

Com o objetivo de auxiliar as mulheres nesse momento, existe o curso de preparação para o parto, que aborda questões práticas e teóricas, objetivando a educação para saúde da mãe e da criança.

Além disso, o curso capacita os pais, preparando-os para o nascimento do bebê e todos os cuidados que devem ser tomados, tanto durante a gestação, quanto após o nascimento desse bebê tão esperado.

No entanto, antes de passar pelo momento do parto, as mulheres ficam com dúvidas, em relação ao parto normal com anestesia.

Para quem não sabe, quando há anestesia, o médico costuma aplicá-la como uma analgesia, trazendo muito mais conforto para a mãe.

Dessa forma, a mulher mantém a mobilidade das pernas, mas deixa de sentir as dores. Por isso, o maior benefício, é quanto a deixar de experimentar o desconforto intenso.

Mas, e o parto normal com anestesia riscos? Bem, há sim, alguns inconvenientes. Um parto com anestesia, tende a ser mais lento.

Necessitando de mais intervenções por parte da equipe médica, como o uso de ocitocina sintética, que acelera o trabalho de parto.

Nesses casos, há chances de complicação, como de o médico ter que romper a bolsa, por exemplo.

No entanto, vale lembrar que as pessoas não sentem dor da mesma maneira, por isso, há relatos de parto normal com anestesia, bem-sucedidos.

Agora, preparamos 6 dicas que irão lhe ajudar a sentir-se mais relaxada para esse momento tão importante em sua vida. Confira:

Yoga e pilates durante a gravidez

Sim, durante a gravidez é muito importante, não havendo riscos, que a mulher se exercite. A yoga e o pilates, por serem mais leves, são muito bons durante esse período.

Fazendo isso, você irá melhorar a circulação e também a resistência cardiorrespiratória. Além disso, auxilia no estímulo a dinâmica uterina. Já as caminhadas ajudam a encaixar o bebê na pelve.

Exercite a musculatura do assoalho pélvico

Além de sustentar os órgãos da região, o assoalho pélvico é o responsável agora também, pela resistência de um útero com um bebê, placenta e cordão umbilical.

Quando bem fortificado, dá maior apoio ao útero e reduz a pressão na bexiga. Outro benefício, é a diminuição das dores lombares, além de uma recuperação pós-parto muito melhor.

Mas, como fortificá-lo? Um método muito utilizado, são os exercícios de Kegel. Idealizados pelo ginecologista, Arnold Kegel.

Ainda na década de 40, o exercício é simples e pode ser realizado em conjunto com as tarefas do dia a dia.

Durma

Já que você sentirá muito sono, aproveite para relaxar sempre que possível.

De acordo com um estudo, mulheres que dormiram pouco, especialmente no último mês de gestação, tiveram mais chances de fazer cesárea e também trabalhos de parto muito mais longos.

Pernas fortalecidas

Quem quiser optar pelo parto normal vertical, quando a gestante fica em pé, precisa de pernas fortes.

É que esse tipo de parto pode ser até uma hora mais curto, no entanto, deixá-las fortalecidas é essencial para que tudo ocorra dentro da normalidade.

Tâmaras

Muita gente não sabe, mas as gestantes que colocam as tâmaras diariamente na alimentação, tendem a não precisar de medicamentos que induzam ao parto.

Essa mulher, geralmente, tem trabalhos de parto mais curtos, com contrações facilitadas e dilatação maior.

Menos açúcar e farinha branca

Isso mesmo, diminua esses alimentos, especialmente a partir da 36ª semana. É que esses componentes tendem a inibir a ação da prostaglandina.

Que em tese, faz com que seu trabalho de parto seja mais longo. Talvez você não saiba, mas o parto possui quatro fases. São elas:

  • Dilatação do canal onde o bebê vai passar;
  • Expulsão, quando a mãe faz força para o bebê sair;
  • Dequitação, que é a expulsão da placenta e membranas;
  • Greenberg, quando a equipe observa a mãe após o parto.

Agora que você já sabe como lidar com o parto normal, fique tranquila. O restante ficará a cargo da equipe médica e os profissionais, que com eficiência irá fazer com que tudo saia bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *