Tudo sobre a terceira idade contemporânea

Os 60 são os novos 40. Este é o mantra de muitas pessoas de terceira idade que, rompendo paradigmas, vivem uma velhice extremamente ativa.

Eles viajam, experimentam coisas novas, se aventuram e relaxam após décadas de trabalho duro.

Tudo isso só é possível graças aos avanços na área da saúde, que proporcionam mais qualidade de vida às pessoas de idade avançada.

Isso significa que atingir a terceira idade não é mais sinônimo de inatividade, rotina e passividade.

Em outras palavras, hoje, ser idoso é bem diferente do que era há alguns anos atrás.

Com essas mudanças, a própria sociedade se adaptou e, aos poucos, mudou seus conceitos a respeito das pessoas de idade.

Há, até mesmo, oferta de produtos e serviços direcionados especificamente a eles.

Quer aprender mais a respeito dos idosos na atualidade? Então continue lendo e confira alguns pontos importantes de mudança:

Há leis para protegê-los

Por mais que as pessoas de idade estejam cada vez mais independentes, sempre chega uma hora na qual sua saúde se degrada.

Com isso, eles passam a ficar a mercê de outras pessoas para realizar atividades cotidianas básicas, o que abre uma brecha para o cometimento de abusos contra eles.

Para evitar estas situações, foi editado o Estatuto do Idoso (Lei nº 10.741/2003).

Este diploma legal assegura uma série de direitos importantes às pessoas de idade, tendo em vista sua contribuição à sociedade e as particularidades de sua condição.

Alguns deles são:

  • Garantia de reajuste das aposentadorias;
  • 50% de desconto no valor de programas culturais;
  • Prioridade em programas habitacionais;
  • Vedação da discriminação em planos de saúde;
  • Prioridade na tramitação de processos judiciais e administrativos;
  • Reserva de programação específica nos meios de comunicação.

Desta forma, os 118 artigos desta legislação cobram atitudes de todos os setores sociais, visando proteger a integridade e a dignidade das pessoas da idade.

Asilo não é mais sinônimo de dependência

Para muitas pessoas, o envio de um familiar a um asilo para idosos é algo impensável.

Isto ainda é tabu devido à crença de que estes locais são insalubres, e que basicamente eximem a família de responsabilidade com o cuidado de seus entes queridos de idade.

Porém, esses dias ficaram para trás. Já há, inclusive, idosos que preferem viver em lares pensados especificamente para eles.

pois, nestes ambientes, há uma vida social mais intensa, além de cuidado médico especializado.

Da mesma maneira, uma pessoa mais velha pode optar por viver em uma moradia para idosos independentes.

Estes locais, que lembram condomínios fechados, são uma opção para pessoas que, apesar de já acumularem muitos anos de idade, ainda são capazes de gerenciar sua própria rotina.

Muitas vezes, eles preferem viver neste local devido ao senso de comunidade que se cria entre os demais moradores.

Além disso, muitas vezes, é possível viver com um cônjuge, mantendo a rotina e os costumes que o casal tinha no próprio lar.

Os asilos estão mais humanizados

Porém, mesmo as pessoas de idade mais debilitadas, que são enviadas a instituições especializadas no cuidado com idosos, têm um trato melhor que há alguns anos atrás.

Atualmente, uma casa de repouso para idosos conta com instalações mais bem preparadas para recebê-los, bem como atenção de uma equipe multidisciplinar, visando seu bem estar.

Pensando na fatia de idosos que têm uma melhor condição financeira, já existem até mesmo os chamados asilos de luxo.

Com uma estrutura que lembra a de hotéis cinco estrelas, eles oferecem um nível acima da média de conforto, bem como atividades esportivas, culturais e sociais.

Assim, por mais que uma pessoa de idade viva em uma casa de repouso para senhoras, ela se sente em casa.

Os cuidadores estão cada vez mais qualificados

A tendência de envelhecimento populacional pela qual o Brasil passa atualmente tem feito com que a profissão de cuidador de idosos seja considerada promissora.

Este profissional, que teve a atuação regulamentada recentemente, é treinado para satisfazer todas as necessidades do indivíduo que está a seus cuidados, mantendo-o seguro e confortável.

Graças ao incentivo à qualificação trazido pela regulamentação da profissão, os cuidadores atuais fazem muito mais do que simplesmente dar banho e remédios às pessoas de idade.

Elas podem ajudar no acompanhamento hospitalar para idoso e participar de consultas médicas, repassando toda a informação à família, quando esta não puder comparecer.

Assim, ele não fica desatendido em momento algum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *