Você sabe para que serve uma incubadora neonatal?

Você certamente já viu uma incubadora na televisão ou na vida real.

Considerado um dos Produtos hospitalares mais utilizados nas maternidades, esse utensílio é capaz de salvar vidas.

Isso porque se trata de uma câmara onde os bebês encontram um ambiente propício para seu amadurecimento adequado.

Diminuindo os índices de mortalidade infantil e possibilitando que muitos recém-nascidos possam sobreviver mesmo em condições difíceis de nascimento.

Mas você sabe como Incubadora hospitalar funciona?

Além disso, quais são os tipos existentes atualmente e como cada um deles beneficia família inteiras, gerando aconchego e saúde para os bebês?

Confira as respostas dessas e outras perguntas sobre o tema no artigo a seguir!

O que é a incubadora?

Fabricada com material transparente e resistente, esses pequeninos berços protegidos fornecem todo o conforto necessário para o bebê com o acolchoamento da sua superfície.

Onde ele se deitará tranquilamente.

Além disso, possui janelas e entradas de ar para que ele possa respirar de forma natural e em abundância.

Quando ela é necessária?

Geralmente, bebês prematuros precisam passar um período de tempo na incubadora para que possam adquirir as condições necessárias para lidar com o ambiente fora do útero.

Esse período pode variar de horas a meses, de acordo com a situação da criança.

O bebê prematuro, por sua vez, é aquele que, por algum motivo, nasceu antes do tempo previsto para a gestação completa.

Isso quer dizer que ele precisava de mais tempo dentro da barriga para que se desenvolvesse por completo e se formasse inteiramente.

Dessa forma, a incubadora possibilita que ele esteja em um ambiente de proteção para continuar seu desenvolvimento de forma mais segura e menos sujeito às variadas complicações geradas pelas ameaças do ambiente externo.

Portanto, os casos que geralmente podem exigir a incubadora são:

  • Nascimento prematuro (antes de 37 semanas);
  • Necessidade de nutrientes (peso baixo);
  • Sistema imunológico deficiente;
  • Problemas de temperatura corporal.

Em casos de fragilidade óssea ou fraqueza muscular, é altamente recomendado que o bebê seja incubado.

Algumas vezes, ainda, há déficit no desenvolvimento neurossensorial ou dos pulmões, exigindo que o recém-nascido fique na incubadora até que haja melhorias no seu quadro.

Também se indica o uso do aparelho quando o bebê não consegue sugar o alimento colocado em sua boca.

Tipos e funções da incubadora

Um dos tipos mais utilizados é Incubadora neonatal de transporte, pois ela permite que o bebê possa ser locomovido de forma prática e simples.

Com controle de ar, elas são capazes de fornecer também a umidade adequada para a saúde do bebê, sem falar nos sistemas de amortecimento da cúpula, que seguram o impacto na hora de fechá-la.

Além disso, com os tecnológicos sistemas de controle que acompanham muitos tipos de incubadora hoje em dia.

é possível saber o peso da criança em tempo real, a frequência dos batimentos cardíacos e até acompanhar atividade cerebral.

Ou seja, a saúde do organismo do bebê é monitorada constantemente, possibilitando que mais medidas sejam tomadas para que ele se recupere mais rápido.

Seja Incubadora estacionaria ou fixa, algumas funções são obrigatórias para que seja criado o ambiente mais propício possível ao desenvolvimento e à segurança do bebê. São eles:

  • Isolamento contra bactérias;
  • Respiração assistida;
  • Sensor de temperatura;
  • Sensor de umidade;
  • Fonte de oxigênio;
  • Raios UV.

Todos esses itens, quando aplicados de forma adequada e monitorados por profissionais da saúde especializados, possibilitam que a criança continue saudável e em crescimento.

Como as funções podem variar e cada fabricante oferece recursos distintos, desde os mais básicos até os mais complexos, a Incubadora neonatal preço pode variar bastante.

O importante é contar com alto desempenho, boa procedência e fornecedores que garantam a qualidade do produto, pois falhas no sistema podem ser fatais para as crianças incubadas.

O que fazer após incubar o bebê?

Muitos pais ficam desesperados quando recebem a notícia de que o filho ou a filha foi incubado, mas é fundamental manter a calma nesse momento.

A primeira coisa que eles devem saber é que o bebê estará a salvo e todas as suas necessidades serão atendidas dentro da incubadora.

Além disso, ser incubado não significa, necessariamente, que a saúde da criança está em risco.

Pois ela é também uma opção para aqueles recém-nascidos que ainda estão se adaptando ao ambiente e precisam de proteção durante esse processo, o que é mais comum do que se imagina.

Seja como for, vale lembrar que a medicina já avançou muito e a neonatologia oferece desde Material cirúrgico até uma série de utensílios que estão voltados diretamente para a promoção da vida e da saúde dos bebês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *